Médelei – eu sou brasileiro (etc) e não existo nunca

segunda-feira, 05.03 15h59

 

 

 

[2006]

  • “A perspicácia da organização dos materiais que constituem Médelei deve começar a ser observada já a partir do seu título, que expõe, com o tipo de humor que guia toda a obra, do que ela trata. A transliteração da palavra inglesa medley para médelei escancara a operação de ‘abrasileiramento’ como uma questão (tanto a que o estrangeiro faz da dança brasileira, quanto a que, dentro do Brasil, praticamos sozinhos, entre nós), e a trata com uma competência ímpar.” Helena Katz 
  • O ponto de partida de Médelei é uma famosa campanha publicitária veiculada pelo governo federal na televisão em 2004, em que o espírito nacionalista era bastante incentivado. A partir daí, e adotando como base teórica ideias do neurocientista português António Damásio sobre sentimento e emoção, o espetáculo discute a ideia de típico, universal, clichê e nacionalismo, convidando o público à reflexão com humor. O trabalho propõe o desafio de discutir no corpo e no ambiente da dança contemporânea o conjunto dança-emoção-sentimento-espetáculo-performer.
  • “O espetáculo toma por ponto de partida o slogan ‘Eu sou brasileiro e não desisto nunca’ da campanha publicitária realizada para o governo e veiculada na televisão brasileira em 2004. O grupo questiona o apelo emocional moralista contido no slogan citado e a própria noção de nacionalismo, propondo discutir a famigerada ideia do corpo como suporte. Para isso desafia o elenco a exercitar sua adaptabilidade a diferentes referências culturais na mesma velocidade com que se troca de estação de rádio. E desafia a plateia a consolidar uma noção de “ser brasileiro” nos 60 minutos de duração do espetáculo”. Fabiana Dultra Britto (2006)
  • Concepção e direção: Cristian Duarte
  • Criação e performance: Sheila Arêas, Cristian Duarte, Tarina Quelho, Eros Valério
  • Iluminação: André Boll
  • Pesquisa e edição da trilha: Cristian Duarte
  • Composição e música ao vivo: Tarina Quelho
  • Figurino: o grupo
  • Fotografia: Rogério Ortiz
  • Consultoria: Fabiana Dultra Britto
  • Produção 2006: Dora Leão – PLATÔproduções
  • Apoiadores no ano de criação (2006): Balé da Cidade de São Paulo, Estúdio Odisseia e Estúdio Nova Dança. Espetáculo contemplado pelo Prêmio Estímulo de Dança – 2005 da Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado de São Paulo; e pelo Prêmio Funarte Petrobras de Fomento à Dança – Lei de Incentivo à Cultura – Governo Federal.
  • Apoio em 2016-2017: Lote, Casa do Povo e 21º Edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo.
  • Produção atual: Carolina Goulart/Cristian Duarte em companhia
  • Crítica OESP 16.11.2006, Helena Katz
  • Fotos ® Rogério Ortiz Vídeo de Leo Nabuco

 

 

 

 

best essays service